Já tentei de tudo para emagrecer, e você? Parece que quanto mais perto você chega dos 30, mais difícil vai ficando a sua vida e maior fica a sua bunda, não importa se você teve filho ou não. A minha mesmo está enorme. Finalmente eu cheguei aos 30, e agora com um agravante: acabei de voltar de uma escola de confeitaria na França e engordei mais de 10 quilos. Em um ano e meio eu consegui acabar com meu corpo. Não fiz um exercício e comi tudo que eu poderia comer em 1 ano e pouco. Só comi coisa gostosa e bem feita, mas comi demais, passei da conta.

10 entre 10 mulheres no mundo querem emagrecer. Eu e você com certeza estamos nessa também. Muita gente me pergunta como eu faço para ser tão magra e comer tantos doces. E a verdade é que eu não estou tão magra assim. Provavelmente estou agora com uns 10 quilos acima do meu peso ideal – digo provavelmente porque não tenho coragem de subir na balança. Amanhã prometo que vou fazer isso e revelo o peso final, o tamanho da bigorna e o tamanho do peso na minha consciência. Como já te disse, engordei tudo na França enquanto estava estudando lá e não posso reclamar, pois não engordei com comida processada ou de saquinho. Engordei com comida boa e muito bem feita. Mas o fato é que engordei e não importa como. O difícil é perder e você sabe disso tanto quanto eu.

Para piorar a minha situação, voltei de viagem e não pude me matricular em uma academia porque quebrei o meu dedo. Aparentemente, você não pode entrar em nenhuma academia de chinelo, mesmo que vá usar apenas os aparelhos de musculação e seu pé esteja quebrado. E só há uma semana me lembrei que poderia voltar para o Pilates. Voltei! Três vezes por semana e já estou me sentindo morta. Mesmo tento faltado na sexta e ficado com um baita peso na consciência. Aliás, acho que emagrecimento é isso: peso na consciência indefinido. Você chega num ponto que até uma maçã é muita coisa. Bom, na verdade eu espero chegar lá, pois pra mim nem mesmo 5 cupcakes é muita coisa.

Bom, esse daqui vai ser o meu diário/ minha coluna de emagrecimento, frustrações por não poder comer o que quero ou por não estar perdendo todos os quilos que achei que iria perder no tempo que gostaria de perder. Você vai poder acompanhar e fazer essa reeducação alimentar junto comigo, dar palpite também e até comentar a sua dieta, pois tenho certeza que você também deve estar em uma.

Aliás, você deve estar se perguntando, “Nossa, mas a Dani, que mataria por uma sobremesa vai fazer dieta? Reeducação alimentar? Como assim?” Pois é, simplesmente porque eu quero comer mais, chega de comer e depois ficar com peso na consciência porque engordei. Quero emagrecer pra comer, então vou sim me submeter a esse processo doloroso, pois sei que serei recompensada por uma deliciosa panna cotta no fim da vida ;D #quantoexagero

Ja engordei por menos1

Vamos para a parte prática. Comecei a ler um livro chamado Cook Yourself Thin (se quiser acompanhar o que eu vou fazer, compre também, mas ainda não sei se ele é bom ou se funciona) e vou me basear nele e em outros que estou lendo para tentar entrar nesse processo. Sei q não vai ser fácil e que provavelmente terei muitas recaídas, mas quem nunca teve?

Pra variar, como qualquer revista de dieta ou livro, esse não poderia ser diferente, já começa com um daqueles testes para você identificar o quanto você é péssima e não sabe comer direito. Li e respondi todas as perguntas. Depois contei se tinha mais A, B, C ou Ds. Como a inicial do meu nome, eu tive mais Ds, o que sempre me deixa apavorada, porque é sempre melhor estar entre o B ou o C, o que provavelmente significa que você deve saber mais ou menos alguma coisa, pois estar nas extremidades é algo que ninguém quer estar, ainda mais para saber sobre a sua personalidade e potencial de emagrecimento.

Bom, chega de lenga lenga e vamos ao veredito:

“Mais Ds.

Você tem desejo por Comfort Food.” (Sim, óbvio e quem não tem? Quer dizer, as pessoas dos grupos A, B e C talvez não tenham, mas não é o meu caso. Agora vamos ver o que isso tem de ruim. Porque sempre tem algo de ruim)

“Você ama comida e comida caseira. Algumas das suas receitas favoritas estão na sua família há anos, e apenas o cheiro delas te faz sentir a salvo e feliz.” (Até aí tudo verdade, minha mãe é praticamente a Nigella e minhas tias são todas iguais, agora por que isso é ruim eu não sei)

“Você é também uma foodie e adora experimentar novos restaurantes.” (É praticamente meu trabalho, como fugir disso?)

“Você tem uma boa ideia sobre nutrição e como criar um prato cheio de sabor e que te satisfaça, mas o conceito de porções controladas não entra na sua cabeça.” (Concordo plenamente, fazer o quê?)

“Alguns dos seus métodos e ingredientes são tão antiquados quanto as suas receitas (eppaaaa pera lá) e você sabe que dá pra fazer purê de batata sem um tablete inteiro de manteiga.” (Saber eu sei, mas fica tão melhor com :D) #withbutterisalwaysbetter

“Felizmente, nossas receitas cortam calorias sem comprometer o sabor ou deixar de ser comfort”(EHHHHHH ;D)

“Abra sua mente para novos ingredientes e técnicas e você vai se sentir aconchegada sem precisar parecer um ursinho de pelúcia.” (Assim eu espero)

Depois dessa sabatina e dessa mulher praticamente parecer saber quem eu sou e quantos quilos eu estou pesando, achei melhor ir  dormir e deixar o restante do livro para amanhã, incluindo a dieta. E você, conseguiu começar a sua hoje?